Festival Digital 2021

economia criativa,
sustentabilidade e inclusão

A Associação Objeto Brasil e a Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo de São Paulo, via Proac Lab Expresso – Lei Aldir Blanc, realizam o Festival de Economia Criativa, Sustentabilidade e Inclusão.

A partir dos pilares da Criatividade, Sustentabilidade, da Inclusão Social e da Diversidade, o Festival tem como o objetivo principal promover a Economia Criativa e as manifestações artísticas, como instrumentos de fomento à geração de cultura, de forma a sensibilizar, apoiar e capacitar novos talentos e negócios inovadores e sustentáveis.

Inspirado pelo Ano Internacional da Economia Criativa para o Desenvolvimento Sustentável 2021, oficializado pela 74ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, o Festival aproveita o momento para reascender o poder da Economia Criativa no Brasil, por meio do crescimento econômico sustentável e inclusivo, a cooperação e networking entre os governos e o setor privado, além de proporcionar um ambiente de oportunidades e empoderamento por todos os direitos humanos (etnias, mulheres, população negra, povos indígenas, pessoas com deficiência e LGBT+).

“A presença da criatividade na sociedade contemporânea se dá de forma transversal. Como vetor de crescimento, está na origem de inúmeros outros conceitos. Da Economia Criativa de John Howkins a Richard Florida, extrapola o âmbito artístico para se instalar como agente ativo na solução de problemas complexos e vetor de desenvolvimento. A economia, incluindo a criativa, só pode existir se apoiada no tripé conceitual da sustentabilidade que, além da perspectiva econômica, contempla também a ambiental e a social.”

Com o propósito de integrar, conectar e promover a cultura, o Festival Digital de Economia Criativa, Sustentabilidade e Inclusão conta com parcerias e apoio de organizações, associações e empresas que vislumbram os mesmos valores, como a Universidade São Judas, Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo/PROAC LAB, Secretaria da Pessoa com Deficiência da Prefeitura de São Paulo.

Para democratizar o acesso à cultura e contribuir para a geração de empregos aos profissionais e agentes culturais, o evento será gratuito, veiculado digitalmente em plataformas de streaming com alto nível de acessibilidade, utilizando diferentes ferramentas: audiodescrição, legendas e Libras.

A divulgação do conteúdo audiovisual será inclusiva e diversa, de forma espontânea, através dos canais de comunicação digitais, website do Festival e aplicativos de redes sociais como Facebook, Instagram, Linkedin, YouTube, WhatsApp, Telegram, Signal, Clubhouse e Spotify.

Durante os três dias, a programação inclui várias ativações, tais como shows musicais, oficinas de teatro com acessibilidade, jornadas gamer e talks com reconhecidos especialistas, líderes e empreendedores da economia criativa, com temas sobre design, sustentabilidade, inclusão e diversidade.

Em paralelo, o Festival lança a Plataforma de Exposição e E-commerce, com foco na promoção do Artesanato, ferramenta para divulgar os produtores e empreendedores criativos, uma iniciativa de curadoria e apoio a marcas e produtos do artesanato brasileiro, bem como um incentivo à geração e crescimento de negócios.

Por meio da plataforma, localizada no website do Festival, vitrines e catálogos virtuais estarão disponíveis com objetos contemporâneos, criações independentes, presentes culturais, arte brasileira, popular e indígena, além de design autoral. A partir do interesse, o visitante será direcionado aos canais das empresas, especialmente selecionadas por compartilharem os mesmos conceitos e valores do Festival.